2009-09-14

Colômbia espera investimento recorde em mineração

Hernán Martínez, ministro colombiano de Minas e Energia, disse que a segurança democrática do governo colombiano estimulou os investimentos estrangeiros no país.

Hernán Martínez, ministro colombiano de Minas e Energia, disse que a segurança democrática do governo colombiano estimulou os investimentos estrangeiros no país.

Santiago Meza

MEDELLÍN, Colômbia — O ministro colombiano de Minas e Energia, Hernán Martínez, afirmou que a confiança dos investidores e o fortalecimento da segurança no país permitiram a entrada de capitais para a exploração e produção de minérios.

Apesar da crise financeira mundial, esses estímulos se traduziriam no investimento recorde de US$ 2 bilhões no setor em 2009, de acordo com o jornal El Colombiano. O setor de mineração é o segundo mais importante na economia do país, ficando atrás apenas do petróleo.

A realidade é que a segurança democrática que o governo ofereceu estimulou muito os investimentos em mineração, disse o ministro, durante a 5ª Feira Internacional de Mineração, realizada em Medellín com a participação de 163 empresas do setor provenientes de Canadá, Alemanha, Polônia, Brasil, Peru, Chile, Estados Unidos, Bolívia, México e Colômbia, informou o jornal El Espectador.

Martínez declarou a El Colombiano que os investimentos estrangeiros se concentram majoritariamente na produção de carvão nos departamentos de César e La Guajira (norte) e na expansão dos portos de Ciénaga e Puerto Bolívar (norte), que servem de saída para as exportações. Ele também destacou a recuperação do setor em 2009, apesar dos efeitos da crise financeira internacional.

As projeções do ministro foram apoiadas por Arturto Quiroz Boada, diretor da Câmara das Empresas de Mineração da Associação Nacional dos Empresários da Colômbia (Andi), que promoveu a feira. Falando a El Colombiano, ele destacou a assinatura, no dia 9 de setembro, de um convênio entre a Colômbia e a Associação Australiana de Exportadores de Equipamentos e Serviços de Mineração que contribuirá com a tecnologia necessária para aprimorar os meios de produção para os investimentos em mineração no país.

Segundo a agência EFE, durante a feira o especialista em assuntos econômicos da Divisão de Recursos Naturais e Infraestrutura da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), Eduardo Chaparro, sublinhou a rápida recuperação da América Latina em geral e do setor de mineração colombiano em específico, depois de a crise ter provocado a perda de 7.000 empregos no país.

A contribuição da indústria de mineração para o continente tem sido determinante e este talvez seja o setor que superará mais rápido o mau momento, apesar do forte impacto registrado no emprego, tanto do ponto de vista qualitativo quanto do quantitativo, avaliou ele.

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.