Arrow left
Arrow right

2009-09-04

4 de setembro — Resumo das notícias da América Central e do Caribe

Winston F. Burges

CIDADE DO MÉXICO, México — Campo de petróleo gigante é encontrado no Golfo do México: Depois de cavar um poço 1.259 metros abaixo do nível do mar e com 11 km de profundidade, a empresa British Petroleum encontrou um campo de petróleo. O local está no limite da fronteira entre EUA e México, 400 km ao sudeste da costa de Houston. A companhia estima que a bacia possa conter de quatro a seis bilhões de barris de petróleo e gás natural, o que por si só bastaria para satisfazer a demanda americana de combustível durante quase um ano.

[Excélsior, El Universal, AP]

CIDADE DA GUATEMALA, Guatemala — Governo emite bônus para enfrentar crise: A fim de minimizar os efeitos da crise econômica mundial, o governo da Guatemala emitiu 410 milhões de quetzales (cerca de US$ 49 milhões) em bônus do Tesouro. Esta foi a primeira de uma série de emissões que o presidente Álvaro Colom solicitou ao Congresso, totalizando três bilhões de quetzales (US$ 363 milhões). Cerca de 82% das notas foram compradas por entidades privadas e o restante ficou nas mãos dos órgãos públicos. A próxima emissão de bônus acontecerá no dia 8 de setembro.

[La Hora, El Periódico, EFE]

CIDADE DO PANAMÁ, Panamá — Martinelli é convidado a discursar na ONU: O 64ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) terá como orador o presidente do Panamá, Ricardo Martinelli, que discursará no dia 24 de setembro sobre a união e as boas relações que devem existir na América Latina. O presidente também deverá se reunir em Nova York com líderes internacionais e representantes de influentes sindicatos empresariais americanos, a quem apresentará um plano para a realização de investimentos no Panamá. Martinelli estará acompanhado pelo ministro de Economia e Finanças, Alberto Vallarino, e também pelo de Comércio e Indústria, Roberto Henríquez.

[EFE, Prensa.com, DPA]

SANTO DOMINGO, República Dominicana — Banco Central baixa taxas de juros: Com a intenção de dinamizar a economia da República Dominicana, o Banco Central dominicano anunciou a redução da taxa de juros para 4%. A decisão vem no momento em que o governo está em plena negociação de um acordo de contingência com o Fundo Monetário Internacional (FMI), o qual daria ao país acesso a um financiamento de US$ 1,5 bilhão. De acordo com as autoridades da organização, o ajuste faz parte das medidas para aumentar a liquidez da economia em 10 bilhões de pesos (US$ 277 milhões).

[El Nacional, EFE]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.