2009-07-24

24 de julho ― Resumo das Notícias da América do Sul

Eduardo Herrera

SÃO PAULO, Brasil — Lula anuncia que devolverá toneladas de lixo ao Reino Unido: O presidente Luiz Inácio “Lula” da Silva afirmou que as 1.600 toneladas de lixo que chegaram ao Brasil em 90 contêineres embarcados no Reino Unido serão enviadas de volta ao país de origem. Não queremos importar lixo de ninguém e também não vamos mandar lixo a ninguém, disse o presidente. Os contêineres, cheios de lixo doméstico e hospitalar, chegaram a diversos portos brasileiros. A embaixada britânica afirmou que os contêineres serão recibidos de volta e que três pessoas foram detidas por envolvimento nas exportações ilegais.

[EFE, Reuters]

BUENOS AIRES, Argentina — Novo ministro assume pasta da educação: Em mais uma mudança no gabinete do governo depois da derrota dos governistas nas eleições parlamentares de junho, a presidente argentina Cristina Fernández de Kirchner nomeou Alberto Sileoni como o novo ministro da Educação. Ele substitui Juan Carlos Tedesco, que passou a presidir uma unidade de planejamento e avaliação. Sileoni é advogado, professor de história e especialista em gestão educacional. Até a nova nomeação, era vice-ministro da Educação da Argentina. Os desafios que ele tem pela frente são a reforma do ensino médio e maior oferta de vagas para alunos de baixa renda.

[La Nación, Los Andes, EFE]

LIMA, Peru — Partido governista forma alianças para manter controle do Congresso: O Partido Aprista Peruano (PAP), da situação, já tem tudo garantido para manter o controle do Congresso de 2009 até as eleições de 2010, previstas para 26 de julho. Os parlamentares do PAP conseguiram firmar alianças com os fujimoristas de centro-esquerda do partido de centro-esquerda União Pelo Peru (UPP) e outras pequenas bancadas conservadoras. Porta-vozes da oposição parlamentar, formada por Partido Nacionalista, Unidade Nacional, dissidentes do UPP e outros partidos de centro, reconhecem que as eleições não alterarão o panorama favorável ao presidente Alan García.

[El Comercio, Los Andes, DPA]

ASSUNÇÃO, Paraguai — Unasul não prevê criação de Exército Bolivariano: A presidente chilena Michelle Bachelet, que exerce a presidência interina da União das Nações Sul-Americanos (Unasul), afirmou que o bloco ainda não abordou a questão da eventual criação de um Exército Bolivariano. Bachelet lembrou que quem apresentou a proposta foi Evo Morales, presidente da Bolívia, durante as celebrações do bicentenário da independência de seu país, em La Paz. Segundo a presidente, o bloco trabalha a partir de iniciativas com apoio majoritário, o que implica avanços na transparência das políticas de defesa”.

[Los Tiempos, EFE]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.