Arrow left
Arrow right

2009-06-23

23 de junho ― Resumo das notícias da América Central e do Caribe

Guillermo Ramírez

CIDADE DA GUATEMALA, Guatemala ― TLC entre Guatemala e Panamá entra em vigor: O Tratado de Livre Comércio entre Guatemala e Panamá entrou em vigor na manhã do dia 22 de junho, após quase uma década de negociações bilaterais. Indústrias como a alimentícia, que espera encontrar um bom mercado no Panamá, de construção, tintas e setores agrícolas serão as principais apostas guatemaltecas para o intercâmbio comercial, que atualmente é mais favorável para o Panamá. Cerca de 5.500 produtos da Guatemala, principalmente medicamentos, serão exportados para o Panamá sem a cobrança de tarifa alfandegária, enquanto 7.400 mercadorias panamenhas entrarão livremente na Guatemala.

[EFE, Prensa Libre, El Periódico]

MANÁGUA, Nicarágua ― Governo anuncia final do analfabetismo: O governo da Nicarágua anunciou que o índice de analfabetismo no país caiu de 19% para 4,7%, segundo a pesquisa mais recente, depois que o Ministério da Educação adotou uma campanha de alfabetização apoiada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). De acordo com os índices apurados pela UNESCO, o país já alcançou 95% de alfabetização e pode declarar-se um território livre de analfabetismo.

[La Prensa, El Nuevo Diario]

SAN JOSÉ, Costa Rica ― Agricultores apoiam negociação comercial com a China: Apesar da rejeição de alguns setores industriais, que pediram para serem excluídos da negociação de um Tratado de Livre Comércio com a China, a Câmara Nacional de Agricultura e Agroindústria da Costa Rica, a mais poderosa do país, formalizou seu apoio ao acordo comercial que o governo costarriquenho concluiu com o país asiático. A organização disse que os setores agropecuários continuarão fazendo parte das negociações, pois os mecanismos de defesa comercial só serão conhecidos após a inclusão no acordo entre ambas as nações durante a quarta rodada de negociações, a ser realizada em setembro.

[La Nación, Xinhua, AFP]

CIDADE DO MÉXICO, México ― Extradição de francesa acusada de sequestro é negada: O presidente Felipe Calderón anunciou formalmente que não vai extraditar para a França a suposta sequestradora Florence Cassez, pois teme que em seu país não seja cumprida a sentença de 70 anos de prisão imposta pelos tribunais do México. O governo do presidente Nicolás Sarkozy havia solicitado a repatriação de Cassez durante sua última visita ao México. A francesa de 34 anos foi presa em 2005 no México e condenada por sequestro, posse de armas e outros crimes.

[Notimex, El Universal, Reforma]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.