2009-03-31

31 de março ― Resumo das notícias da América do Sul

Santiago Meza

QUITO, Equador ― Onze soldados serão investigados sobre a morte de ministra: A Procuradoria Geral anunciou que investigará 11 soldados reformados que são acusados de homicídio culposo (quando não há intenção) no caso da morte da ministra da Defesa, Guadalupe Larriva, de sua filha e cinco oficiais em um desastre de helicóptero ocorrido em janeiro de 2007. O procurador geral, Alfredo Alvear, disse que uma investigação preliminar apontou que houve negligência resultante em homicídio culposo da parte das autoridades militares. Entre os acusados estão quatro generais, quatro coronéis, um tenente coronel, um major e um sargento.

[El Comercio, AFP, EFE]

CARACAS, Venezuela ― PIA estuda situação na América Latina: Representantes de Nicarágua, Guatemala, México, Bolívia, Peru, Colômbia e Venezuela se encontraram em Caracas no dia 30 de março para examinar os problemas que os grupos étnicos enfrentam na região. O porta-voz do Parlamento Indígena da América (PIA), o venezuelano José Poyo, disse que a instituição passará três dias estudando os problemas enfrentados pelos povos indígenas do continente, tais como serem forçados a abandonar suas terras natais e tornarem-se vítimas da violência de grupos armados. Será avaliado também o progresso feito pela Declaração dos Povos Indígenas, que será entregue à Organização dos Estados Americanos (OEA).

[Agencia Bolivariana de Noticias, ANSA, AP]

BUENOS AIRES, Argentina ― Argentina e China concordam com troca de moedas: O Banco Central da Argentina e o Banco Popular da China (PBC) assinaram um acordo preliminar para facilitar o comércio bilateral por meio da troca de até US$ 10,2 bilhões das suas moedas, o peso e o yuan, respectivamente. O governador do PBC, Zhou Xiaochuan, anunciou o acordo durante a 50ª reunião anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento, realizada na Colômbia. Segundo o acordo, qualquer uma das partes terá acesso à moeda da outra ao entregar a quantia equivalente na sua própria moeda.

[Clarín, Télam, Reuters]

LIMA, Peru ― Tribunal Constitucional aceita processo contra TLC de Peru e Chile: Em 1º de março deste ano, Peru e Chile assinaram um Tratado de Livre Comércio. O Tribunal Constitucional Peruano anunciou que aceitou o processo iniciado por um grupo de parlamentares, a maioria do Partido Nacionalista Peruano de Ollanta Humala, que alegam que o acordo é inconstitucional. O vice-presidente do Tribunal, Carlos Mesias, disse que a decisão de aceitar o processo foi tomada na semana passada, o que não significa que o tribunal favorecerá os pleiteadores, mas que simplesmente analisará o caso.

[Radio Programas del Perú, 24horaslibre.com, EFE]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.