2009-03-27

Segurança é enfoque da visita de Hillary Clinton ao México

Hillary Clinton (centro, no caminhão), secretária americana de Estado, e Genaro García Luna (esq., no caminhão), secretário de Segurança Pública do México, são levados à sede da polícia federal durante a visita oficial de Clinton ao México no dia 26 de março de 2009.

Hillary Clinton (centro, no caminhão), secretária americana de Estado, e Genaro García Luna (esq., no caminhão), secretário de Segurança Pública do México, são levados à sede da polícia federal durante a visita oficial de Clinton ao México no dia 26 de março de 2009.

Antonio Porras

CIDADE DO MÉXICO, México ― Em sua primeira visita oficial ao México, a secretária americana de Estado, Hillary Clinton, renovou o compromisso do seu país com a luta conjunta contra o tráfico de drogas. Ela ofereceu mais US$ 80 milhões para financiar a compra de helicópteros Black Hawk pela polícia mexicana.

Estes aviões ajudarão a polícia mexicana a responder com agressividade e êxito à ameaça dos cartéis do tráfico de drogas, disse Clinton. Conforme El Universal, em fevereiro o Departamento de Estado americano havia renovado o alerta a viajantes dos EUA em função do recente aumento da violência em cidades fronteiriças.

A pauta da primeira visita de Clinton a um país latino-americano desde que tomou posse se concentrou na segurança da fronteira, onde cartéis estão em guerra pelo controle das rotas do tráfico de drogas que levam aos Estados Unidos.

Conforme a AFP, Hillary Clinton e o presidente mexicano Felipe Calderón, em reunião na residência oficial de Los Pinos, também falaram sobre imigração, relações comerciais bilaterais e a visita oficial que o presidente Barack Obama fará ao México no dia 16 de abril.

Hillary elogiou a bravura e determinação do presidente mexicano na sua luta contra o crime organizado e negou que haja territórios ingovernáveis no México, segundo informa El Universal. Da mesma forma, ela aceitou a responsabilidade conjunta dos EUA na luta contra o tráfico de drogas, anunciando a criação de um escritório de implantação bilateral no México para as autoridades de ambos os países trabalharem juntas na luta contra traficantes de drogas e a violência que eles tentam espalhar.

De acordo com o jornal Milenio, Hillary Clinton também se reuniu com a secretária mexicana das Relações Exteriores, Patricia Espinosa, que pediu que os EUA ampliassem os esforços contra o fluxo de armas para o México, já que o vizinho do norte é a principal fonte de abastecimento do crime organizado. Um dos principais desafios que enfrentamos vem de organizações criminosas que são frequentemente transnacionais, declarou Espinosa. Precisamos nos concentrar nas nossas responsabilidades em comum para enfrentar este enorme desafio.

Antes da visita de Hillary Clinton ao México, a Casa Branca anunciara que aumentaria a segurança nas fronteiras com o envio de 300 a 400 agentes federais.

Segundo a Reuters, Clinton afirmou que o presidente Obama está comprometido com uma reforma completa das leis de imigração nos EUA e que o governo tentará aprovar as mudanças nos próximos meses.

Ela também enfatizou o progresso obtido na disputa comercial que levou o México a impor tarifas a certos produtos americanos em resposta à decisão dos EUA de proibir que caminhões mexicanos viajassem em estradas americanas.

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.