Arrow left
Arrow right

2009-03-23

Presidente-eleito de El Salvador tranquiliza comunidade internacional

Mauricio Funes (dir.), recém-eleito à Presidência de El Salvador, conversa com Thomas Shannon, vice-secretário norte-americano de Estado para o Hemisfério Ocidental, durante entrevista coletiva conjunta na residência oficial do presidente de El Salvador em 18 de março de 2009. Shannon ofereceu o apoio dos EUA ao novo governo.

Mauricio Funes (dir.), recém-eleito à Presidência de El Salvador, conversa com Thomas Shannon, vice-secretário norte-americano de Estado para o Hemisfério Ocidental, durante entrevista coletiva conjunta na residência oficial do presidente de El Salvador em 18 de março de 2009. Shannon ofereceu o apoio dos EUA ao novo governo.

Antonio Porras

SAN SALVADOR, El Salvador — O presidente-eleito de El Salvador, Mauricio Funes, tranquilizou a comunidade internacional ao reiterar que seu futuro governo respeitará e cumprirá com as obrigações do país, informa a agência de notícias EFE.

A promessa, além do apoio recebido recentemente do governo norte-americano, acalmou vários países na região depois que o partido esquerdista Frente Farabundo Martí para a Liberação Nacional (FMLN) colocou um fim nos 20 anos de domínio direitista nas eleições de El Salvador. Funes assumirá o poder em 1º de junho.

Gostaria de aproveitar a oportunidade para reforçar meu compromisso com a comunidade nacional e internacional de que respeitarei e cumprirei os termos e as condições das obrigações do meu país, garantiu Funes ao jornal La Prensa Gráfica.

As declarações de Funes pareceram subestimar o representante da FMLN, Gerson Martínez, que mencionou a possibilidade de o governo fazer uma proposta de renegociação para a atual dívida externa e pedir a extensão dos prazos de pagamento, além de alterar as taxas de juros usadas para financiar seus programas de investimento.

A mídia estrangeira, incluindo People’s Daily Online da China, o site da BBC e o jornal mexicano El Financiero, destacou o apoio que Funes recebeu do governo norte-americano como um sinal positivo para o futuro presidente salvadorenho.

De acordo com o site chinês, a primeira demonstração de apoio dos EUA foi feita com o telefonema do presidente Barack Obama, seguido de uma reunião entre o presidente-eleito e o vice-secretário de Estado para o Hemisfério Ocidental, Thomas Shannon, que parabenizou Funes pela recente vitória eleitoral.

De acordo com a BBC, a visita de Shannon colocou fim a quaisquer dúvidas sobre a aceitação do governo, que será formado pela FMLN. Do nosso ponto de vista, não importa se o governo é de esquerda ou direita, Shannon enfatizou. O que importa é o compromisso com a democracia e se existe uma vontade de cooperar conosco. E foi isso que o presidente-eleito estabeleceu hoje.

Funes confirmou que recebeu um telefonema do presidente Obama parabenizando-o pela vitória histórica e pelo compromisso do povo salvadorenho com o processo democrático.

De acordo com o jornal mexicano El Financiero, além de dar os parabéns a Funes, Obama também marcou uma reunião entre os dois durante a Cúpula das Américas, a ser realizada em Trinidad e Tobago de 17 a 19 de abril.

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.