2012-06-15

‘Súper Chica’, em busca de suas metas

A Tenente do Corpo de Fuzileiros Navais *Ángela Tabares é a primeira mulher nas Forças Especiais do Corpo de Fuzileiros Navais do México, como também a primeira mulher em participar do Fuerzas Comando.  (Foto: www.fuerzascomando.com)

A Tenente do Corpo de Fuzileiros Navais *Ángela Tabares é a primeira mulher nas Forças Especiais do Corpo de Fuzileiros Navais do México, como também a primeira mulher em participar do Fuerzas Comando. (Foto: www.fuerzascomando.com)

Tenente-Coronel Suldery Vargas Vásquez, Oficial de imprensa do Fuerzas Comando

Sob um sol inclemente que resplandece na paisagem verde, característica do Forte Militar de Tolemaida, e suportando tranquilamente os 35 graus de temperatura, encontra-se a tenente de corveta das Forças Especiais do Corpo de Fuzileiros Navais do México, testando seu fuzil, elemento fundamental para demonstrar sua destreza como integrante da equipe de assalto. Ela, tal como seus companheiros de unidade, afirmou estar preparada para representar seu país que, pela segunda vez, participa desses torneios onde se enfrentam os homens de elite das Forças Armadas da América.

‘A Súper Chica’, como a chamam seus compatriotas, está há dez anos nas fileiras da Marinha do México e sempre se destacou pela capacidade esportiva, superando inclusive muitos homens da instituição. ‘Na época da universidade fui esportista, fiz parte da equipe de natação e atletismo, participei de torneios nacionais como triatlos e pentatlos’, diz a tenente de corveta.

Esta jovem ingressou na Marinha do México como profissional, formando-se com uma licenciatura e, desde o nível de oficial, exercia sua profissão. No entanto, os sonhos para a Tenente de Corveta *Ángela Tabares não paravam ali, ela sempre desejou fazer parte do Corpo de Fuzileiros Navais, embora na época em que entrou para as forças militares não se permitissem mulheres nesta área.

Anos se passaram e *Ángela Tabares um dia soube do curso de paraquedismo, talvez motivo suficiente para que ficasse feliz e satisfeita, mas isto ainda não lhe bastava, sempre ansiosa para escalar mais um degrau na carreira militar.

Em dezembro de 2011 abriram-se as inscrições para todos os militares, homens e mulheres, que desejassem fazer o curso de Forças Especiais, e a Tenente *Tabares não titubeou por um instante sequer, imediatamente fez sua inscrição e apresentou todas as provas exigidas para a escolha dos melhores.

Foram selecionados 120 militares, três dos quais eram mulheres, mas só duas moças entraram no curso, e sete meses depois de um árduo e rigoroso curso de treinamento, apenas 13 conseguiram se formar, entre eles apenas uma mulher, a Tenente de Corveta *Ángela Tabares.

A partir desse momento ela entrou para o seleto grupo das Forças Especiais do Corpo de Fuzileiros Navais e, dessa maneira, realizou seu sonho de servir à Pátria, agora não apenas como uma mulher profissional formada pela universidade que é, mas mais do que isto, agora tem a oportunidade de mostrar toda sua capacidade física, técnica e psicológica, o que a classifica como uma das melhores integrantes das forças de elite que o México tem atualmente.

No momento, atua como comandante de uma unidade operacional das Forças Especiais, onde sua missão é a realização de tarefas de segurança pública.

‘O mais importante é a força de vontade, e isto não pertence exclusivamente aos varões, nós mulheres temos muita, e sem dúvida temos bastante coragem’, disse ela, deixando transparecer um leve sorriso.

Durante o desenvolvimento das competições do Fuerzas Comando 2012, Tabares sua grande expectativa era a de representar dignamente a nação com sua equipe, além de estabelecer boas relações com os demais participantes, fortalecer os laços de amizade com os outros países da América, tudo isto com o objetivo de realizar um trabalho conjunto na luta contra o narcotráfico, o terrorismo e os fenômenos que atentem contra a segurança.

Sem abrir espaço para dúvidas, ‘a Súper Chica’ deixa muito claro que no momento seu principal objetivo é dedicar-se ao trabalho em equipe. ‘É difícil, sou a única mulher das Forças Especiais e essas mudanças não se fazem da noite para o dia, são paulatinas, e espero que pouco a pouco venham a ser aceitas.

Apesar de as novas políticas de abertura nas forças militares mexicanas permitirem que as mulheres futuramente alcancem a patente de almirante ou general, para a Tenente *Tabares a principal meta é adquirir uma verdadeira profissionalização e demonstrar um excelente desempenho. ‘Para mim, a patente não é o mais importante, é a experiência e fazer corretamente meu trabalho, porque tenho um grande compromisso e devo fazer tudo muito bem’, conclui a tenente de corveta das Forças Especiais do Corpo de Fuzileiros Navais do México.

*Seu nome foi mudado para sua proteção.

Você gostou deste artigo?

41Rating no
Adicione Seu Comentário Política de Comentários
*informa campo obrigatório