2012-04-17

Soldado do Exército dos EUA é agraciado com a Cruz ao Mérito de Serviço por bravura

Apesar de ter o pulmão atingido por estilhaços, o Sargento Felipe Pereira salvou os soldados companheiros de uma emboscada no Afeganistão, em 1º de novembro de 2010, e foi agraciado com a Cruz ao Mérito de Serviço por bravura. (Foto: Exército dos EUA)

Apesar de ter o pulmão atingido por estilhaços, o Sargento Felipe Pereira salvou os soldados companheiros de uma emboscada no Afeganistão, em 1º de novembro de 2010, e foi agraciado com a Cruz ao Mérito de Serviço por bravura. (Foto: Exército dos EUA)

Relações Públicas de Fort Campbell-Exército dos EUA

O sargento do Exército dos EUA Felipe Pereira foi agraciado com a Cruz ao Mérito de Serviço pelo General Raymond Odierno, chefe do Estado-Maior do Exército dos EUA, durante uma cerimônia no dia 12 de abril.

Com parte do pulmão atingida por estilhaços, Pereira salvou outros soldados feridos vítimas de uma emboscada na Província de Kandahar, no Afeganistão, no dia 1º de novembro de 2010.

Pereira tem duas cidadanias, brasileira e norte-americana, e se tornou o primeiro soldado da 101ª Divisão de Transporte Aéreo desde o Vietnã a receber a Cruz ao Mérito de Serviço, a segunda mais alta condecoração por bravura. Ele serve à Companhia A, 1º Batalhão, 502º Regimento de Infantaria (Ataque), 2ª Equipe de Combate da Brigada, 101ª Divisão de Transporte Aéreo.

A menção de Pereira diz: “Sua dedicação e engajamento com o dever indubitavelmente salvaram as vidas de dois Soldados companheiros, e seu espírito de liderança e destaque no serviço foram essenciais para a bem-sucedida resposta de sua unidade a um ataque letal”.

Ele servia ao Ataque da Força Tarefa Combinada quando sua unidade ficou sob fogo cerrado. Então, como especialista, Pereira e seu esquadrão voltavam de uma patrulha desmontada em Senjaray, Afeganistão, quando um motociclista suicida detonou um dispositivo explosivo no meio de seu esquadrão, que tentava chegar a seu posto avançado de combate.

Dois soldados morreram instantaneamente e quatro outros foram gravemente feridos, incluindo o líder de seu esquadrão e companheiro de equipe. Os estilhaços atingiram Pereira, que sofreu ferimentos no baço, fígado e pulmão esquerdo.

Enquanto os soldados lutavam para dominar a situação, o inimigo iniciava uma complicada emboscada, atirando contra a patrulha de cerca de sete posições de fogo com pequenas armas e granadas de propulsão.

Os pulmões de Pereira começaram a fraquejar e ele respirava com dificuldade. No entanto, recusou o atendimento médico e ao invés disto conduziu um veículo todo terreno e recuou em direção ao fogo pesado inimigo para conseguir uma plataforma de evacuação para seus companheiros feridos.

Pereira conseguiu aproximar o veículo a 20 metros de seus companheiros, que estavam presos no fogo inimigo, mas não teve uma cobertura eficiente. Imediatamente providenciou ataques supressivos do veículo, permitindo que dois de seus soldados trouxessem os dois feridos.

Enquanto as balas ricocheteavam em torno do veículo e quase atingiam Pereira, ele continuava a atirar para proteger os soldados que ainda estavam no chão. Depois disto, rapidamente conduziu o veículo até a entrada do posto avançado, onde havia médicos aguardando os feridos.

Pereira ajudou a levar os feridos e então voltou para o fogo inimigo pela segunda vez e continuou a coordenar a evacuação de seus companheiros. Reconhece-se que ele salvou as vidas de dois de seus soldados arriscando a sua própria em diversas ocasiões. Pereira não permitiu que lhe atendessem até que todos os soldados feridos tivessem sido evacuados e estivessem recebendo atendimento médico.

Você gostou deste artigo?

37Rating no
Adicione Seu Comentário Política de Comentários
*informa campo obrigatório