Arrow left
Arrow right

2012-01-06

OTAN considera um sucesso a luta contra o narcotráfico no Afeganistão

Soldados canadenses da força de coalizão liderada pela OTAN passam por uma plantação de maconha após uma troca de tiros com os insurgentes talibãs no sudeste do Afeganistão. (Foto: Reuters / Finbarr O’Reilly)

Soldados canadenses da força de coalizão liderada pela OTAN passam por uma plantação de maconha após uma troca de tiros com os insurgentes talibãs no sudeste do Afeganistão. (Foto: Reuters / Finbarr O’Reilly)

AFP

A luta contra o narcotráfico no Afeganistão é um sucesso graças às “incríveis” apreensões efetuadas em 2011, disse em entrevista coletiva Carsten Jacobson, porta-voz da Força Internacional de Assistência para a Segurança (ISAF), coalizão militar estrangeira dirigida pela OTAN.

“O tráfico de entorpecentes tem sido um fator chave para o financiamento dos insurgentes, mas essa fonte de recursos está diminuindo”, afirmou Jacobson.

As apreensões de ópio aumentaram 13 por cento e as de haxixe 59 por cento, enquanto as de maconha e morfina se multiplicaram por 12 e 10 respectivamente, segundo estatísticas da ISAF.

“As operações antidrogas atrapalham o poder dos insurgentes de transformar o ópio em heroína”, afirmou o porta-voz da ISAF.

Não obstante, o Escritório das Nações Unidas sobre Droga e Crime (UNODC) informou, em outubro de 2011, que a produção de ópio no Afeganistão havia aumentado significativamente em 2011 em relação a 2010, quando o plantio foi atingido por uma praga.

Para este ano, o UNODC estima que a produção potencial atinja 5.800 toneladas, em comparação às 3.600 toneladas do ano passado.

Depois do pequeno recuo de 2010, o Afeganistão deverá voltar a produzir 90 por cento do ópio mundial, segundo o UNODC.

Você gostou deste artigo?

42Rating no
Adicione Seu Comentário Política de Comentários
*informa campo obrigatório